FILOSOFIA RELIGIO URBANO ZILLES PDF

Este artigo examina problemas, conceitos e idias em autores recentes, que tentam uma filosofia da religio. Conceituando Deus e religio, apresenta a crtica radical de Kant, Nietzsche e Freud, passando para o problema na soci- edade pluralista. Analisa interpretaes do cristianismo como a de F. Schlei- ermacher, R. Bultmann e P. Finalmente, aborda a perspectiva fenome- nolgica e analtica da linguagem.

Author:Meztilkis Vudogore
Country:Angola
Language:English (Spanish)
Genre:Medical
Published (Last):9 June 2007
Pages:33
PDF File Size:13.5 Mb
ePub File Size:1.67 Mb
ISBN:609-5-99539-858-6
Downloads:83450
Price:Free* [*Free Regsitration Required]
Uploader:Kazisar



Emocionais caractersticas de sua infncia, Agostinho v-se atormentado quando aps a morte de sua me, busca sua converso ao Cristianismo. Como aceitar a arte dos gregos se eram politestas? E agora: Cincia razo ou Religio f. Ainda nisto meu Deus, Vos quero confessar as vossas misericrdias, desde as fibras mais secretas da minha alma!

Trecho retirado da obra Confisses. Nesta passagem, Agostinho influenciado por dois amigos, confessa a Deus seu erro: a prtica da Astrologia. Segundo sua viso, a arte de prever o futuro era falsa, e com ela a Astrologia. A capacidade, por exemplo, de antever a uma futura doena pela medicina ou qualquer outra arte torna-se difcil de conciliar. Todos os assuntos sociais, bons ou ruins, so no fim dependentes do crebro rptil do homem.

Chamado Complexo-R a regio mais velha e mais primitiva de nossa massa cinzenta. Se algum diz que agiu com o corao em vez da cabea. O que ele realmente quer dizer que concedeu o controle s suas emoes primitivas que tm origem no crebro rptil , ao invs dos clculos da parte racional do crebro.

Para isto, seria necessrio expulsar toda espcie de interferncia Astrologia e demnios. Para Agostinho no Verbo de Deus existem as verdades eternas, as idias, as espcies, os princpios formais das coisas, e so os modelos dos seres criados; e conhecemos as verdades eternas e as idias das coisas reais por meio da luz intelectual a ns participada pelo Verbo de Deus.

Ela surge atravs do movimento dacomunidade cristchamadaPatrstica, que tinha como principal objetivo adefesa da f. A Patrstica, a saber, o pensamento cristo desde o II ao VIII sculo, a que devida particularmente a construo da teologia, da dogmtica catlica; a Escolstica, a saber, o pensamento cristo desde o sculo IX at o sculo XV, criadora da filosofia crist verdadeira e prpria. Faculdade Teolgica de Cincias Humanas e Sociais Logos FAETEL Mdulo II: Integralizao - Filosofia da Religio Caracterstica do pensamento cristo Quem no se ilumina como esplendor de coisas to grandescomo as coisas criadas, cego, quem no desperta com tantos clamores, surdo, quem, com todas essas coisas, no se pes a louvar Deus, mudo, quem, a partir de indcios to evidentes no volta a mente para o primeiro princpio, tolo.

So Boa ventura. Assim definiu So Jernimo o momento que.

IEC 61851-1 PDF

Situação Atual Da Filosofia Da Religião

Como disse Mondin1, os filsofos estudaram todas as coisas. Devemos, pois, concluir que a filosofia estuda tudo? Sem dvida. Portanto, h uma filosofia da religio. Justificar-se-ia uma filosofia da religio?

DRIVEN TO DISTRACTION ASHLEIGH RAINE PDF

Cerca Libro

.

Related Articles